segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Dar ou não no primeiro encontro?

As mulheres muitas vezes se deparam com esta duvida: Transar ou não no primeiro encontro?
As justificativas para não dar são normalmente as mesmas: " Se ela for fácil demais, o cara não vai dar valor", "Vou ser tachada de puta". E o pior, que já vi este tipo de pensamento em mulheres que diziam-se "bem resolvidas", "feministas", e que criticavam as "posições machistas da sociedade".

Elas não notam que estão repetindo justamente uma "posição machista da sociedade".
O papel do homem é tentar,seduzir, estar sempre pronto. As mulheres, podem sim querer, mas  devem guardar seus desejos pra si – bem escondidos lá no fundo.


Não entendo esta relação caráter/valor e transar no primeiro encontro. Homens e mulheres sentem o mesmo desejo. Não significa que você “tem” a transar no primeiro encontro, e sim que você “tem o direito” se estiver com vontade. Vou contar um segredo... Mulheres, não achem que reprimir-se vai fazer com que o cara fique mais interessado por você. Transar ou não no primeiro encontro, só vai fazer com que você descubra como é o cara. Ou seja, se você segurar até quando achar digno e depois o sexo for aquela coisa mais ou menos, o fracasso só vai ter sido adiado alguns dias. E se você acha que estatiscamente os homens se afastam depois que você transa no primeiro encontro, reveja seus conceitos e reflita se o problema está em sua atitude de querer dar ou na performance que não foi a das melhores. Suspeito que a segunda alternativa seja mais válida.

Só um completo idiota acha que o fato de uma mulher transar no primeiro encontro a desvaloriza como pessoa. Idiotas e infantis! E minha querida, se voc~e é uma mulher inteligente não vai querer se envolver com este tipo de homem. Os que consideram como mulher perfeita a "casta" a "virgem". E acho que já falei em algum lugar: "já vi muito amigo meu tomando bola nas costas de garotas castas e de familia".





Mulheres liberem no primeiro encontro. No caso de um sexo gostoso, se você não der no primeiro encontro, vai ter perdido alguns dias. Se rolou aquela química, aquela pegada e aquela sintonia, ele vai acordar pensando em você no outro dia. Vai querer repetir a dose sim! E se o sexo for o maior motivador dos próximos encontros? Qual o problema? Você também não está sentido prazer? 
Neste caso, é um relação linda e mutualmente proveitosa. Os dois se usam – no bom sentido- e a prática pode até trazer intimidade e levar o relacionamento pra um outro plano, ou não. De qualquer forma, com certeza vai ter valido a pena.

Uma Mulher inteligente falando dos homens...

... Minha Amiga, se Você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí Você vai ver o que é Mau Humor !

... por Fernanda Montenegro

O modo de vida, os novos costumes e o desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está o macho da espécie humana.

Tive apenas 1 exemplar em casa, que mantive com muito zelo e dedicação num casamento que durou 56 anos de muito amor e companheirismo, (1952-2008) mas, na verdade acredito que era ele quem também me mantinha firme no relacionamento.

Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem os Homens!'

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da masculinidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

1. Habitat

Homem não pode ser mantido em cativeiro.

Se for engaiolado, fugirá ou morrerá por dentro.

Não há corrente que os prenda e os que se submetem à jaula perdem o seu DNA.

Você jamais terá a posse ou a propriedade de um homem, o que vai prendê-lo a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente, com dedicação, atenção, carinho e amor.

2. Alimentação correta

Ninguém vive de vento. Homem vive de carinho, comida e bebida. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ele não receber de você vai pegar de outra.

Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã os mantêm viçosos, felizes e realizados durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não o deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Portanto não se faça de dondoca preguiçosa e fresca.. Homem não gosta disso. Ele precisa de companheira autêntica, forte e resolutiva.

3. Carinho

Também faz parte de seu cardápio – homem mal tratado fica vulnerável a rapidamente interessar-se na rua por quem o trata melhor.

Se você quer ter a dedicação de um companheiro completo, trate-o muito bem, caso contrário outra o fará e você só saberá quando não houver mais volta.

4. Respeite a natureza

Você não suporta trabalho em casa? Cerveja? Futebol? Pescaria? Amigos? Liberdade? Carros?

Case-se com uma Mulher.

Homens são folgados. Desarrumam tudo. São durões. Não gostam de telefones. Odeiam discutir a relação. Odeiam shoppings. Enfim, se quiser viver com um homem, prepare-se para isso.

5. Não anule sua origem

O homem sempre foi o macho provedor da família, portanto é típico valorizar negócios, trabalho, dinheiro, finanças, investimentos, empreendimentos. Entenda tudo isso e apóie.

6. Cérebro masculino não é um mito

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino, mas não gostam de mulheres burras.

Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente não possuem! Também, 7 bilhões de neurônios a menos!).

Então, agüente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração.

Se você se cansou de colecionar amigos gays e homossexuais delicados, tente se relacionar com um homem de verdade.

Alguns vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você.

Não fuja desses, aprenda com eles e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com as mulheres, a inteligência não funciona como repelente para os homens.

Não faça sombra sobre ele...

Se você quiser ser uma grande mulher tenha um grande homem ao seu lado, nunca atrás.

Assim, quando ele brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ele estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: homens também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.

A mulher sábia alimenta os potenciais do parceiro e os utiliza para motivar os próprios.

Ela sabe que, preservando e cultivando o seu homem, ela estará salvando a si mesma.

E Minha Amiga, se Você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí Você vai ver o que é Mau Humor!

Só tem homem bom quem sabe fazê-lo ser bom!

Eu fiz a minha parte, por isso meu casamento foi muito bom e consegui fazer o Fernando muito feliz até o último momento de um enfisema que o levou de mim. Eu fui uma grande mulher ao lado dele, sempre.

Com carinho,

F. M..

Quem tudo quer nada tem O desejo de ter coisas não tem fim. Quando inflamos esse sentimento não aproveitamos o que já temos – e acabamos ficando sem nada

por Eugênio Mussak


As duas motivações essenciais do ser humano são atender às suas necessidades e satisfazer seus desejos. Elas estão ligadas aos instintos de evitar sofrimento e obter prazer, que em geral estão juntos e por isso podem se confundir. Por exemplo, buscamos o alimento para saciar nossa fome (evitamos sofrimento), mas também porque ele é saboroso (obtemos prazer). Essa foi uma solução da natureza para garantir nossa sobrevivência e a de nossa espécie. A reprodução, por exemplo, precisa do sexo, que é praticado porque é prazeroso. Necessidade e desejo mais uma vez juntos.

Mas é justamente aí que mora o perigo, pois o ser humano, que é um ser racional, mas não necessariamente razoável, confunde tudo e busca ter muitas coisas porque imagina precisar delas, quando na verdade apenas as deseja. Não há nada de errado com os desejos e com o prazer, a não ser o limite. É como a diferença entre o remédio e o veneno: a dose. Por exemplo, o prazer derivado do ato de possuir objetos às vezes é totalmente eliminado pelo desejo de possuir cada vez mais. Dizemos que “quem tudo quer nada tem” exatamente porque, enquanto a pessoa fica “desejando” ter coisas, não curte o que já tem, o que equivale a não ter.

Querer possuir bens, usufruir os benefícios do dinheiro no sentido de construir, para si e para os outros, uma vida mais plena e mais tranqüila é uma postura racional, aceitável e até necessária, considerando que esse desejo é um dos propulsores do progresso. Entretanto, olhando o outro lado da moeda, podemos encontrar um comportamento humano equivocado, em que a sensação de felicidade passou a ser confundida com o sentimento de possuir coisas. Convenhamos, ser feliz não pode depender de uma postura assim tão materialista. Caso contrário, felicidade seria um produto fácil de encontrar nas prateleiras do supermercado ou das lojas do shopping center. O que preocupa é que há muita gente pensando e agindo exatamente assim.

Há anos tenho conduzido uma pesquisa particular junto aos meus alunos de MBA, perguntando quais são seus planos para o futuro. A pergunta objetiva é: como você se vê daqui a 20 anos? Considerando que eles estão na faixa dos 20, essa pergunta os remete para a maturidade. As respostas variam, é claro, mas a maioria envolve coisas como: daqui a 20 anos eu gostaria de ter uma empresa sólida, uma casa grande, condições de viajar bastante e tranqüilidade com relação à minha sobrevivência e de minha família.

Não há nada de errado com essas respostas, a não ser o fato de que elas envolvem exclusivamente o desejo de ter coisas. Passamos então a uma discussão sobre o assunto e, no final, chegamos a um consenso: o ter é uma conseqüência de três fases anteriores: o ser, o aprender e o fazer.

O ser envolve a realização de nossa essência, o que reflete na maneira como somos vistos, por nós mesmos e pelos demais. O aprender está ligado ao estudo e ao desenvolvimento de habilidades e competências. E o fazer, que depende dos dois anteriores, produz realizações que, finalmente, podem culminar no ter.

Ninguém discorda. Possuir bens depende de nossa capacidade de ganhar o dinheiro em primeiro lugar, o que torna claro que há fases anteriores ao ter. Então por que esse hábito de imaginar o futuro baseado na capacidade de possuir coisas? Por um motivo simples: é mais fácil. O mundo dos sentidos estabelece uma relação mais direta do homem com seu ambiente do que o mundo das idéias. É muito mais simples ver-se no futuro como dono de uma “empresa sólida” do que imaginar-se sendo uma pessoa “capaz, dedicada e ética”, que são as condições que permitiriam a construção da tal empresa.

Ser feliz é o que interessa
Uma pesquisa do psicólogo americano Martin Seligman demonstra que a felicidade é o resultado de três fatores: o engajamento, o significado e o prazer. O engajamento representa a capacidade humana de se envolver com algo, como o trabalho, um hobby ou uma causa de qualquer natureza. O significado tem a ver com entender a razão da própria existência, o que com muita freqüência é buscado através das religiões, apesar de haver outros caminhos, como a amizade verdadeira, a família e a ética social. Já o prazer, este tem várias faces, como a apreciação da arte, o humor, o sexo e, claro, o sentimento de possuir e consumir coisas.
Dos três elementos, o prazer é o único que pode ser comprado. Teoricamente, seria o caminho mais fácil para a felicidade. Entretanto, ele sozinho não se garante, pois depende da interação com os outros dois. A felicidade que deriva apenas do prazer de possuir coisas é efêmera. É aí que se estabelece a confusão. Em vez de complementar o prazer engajando-se em causas e dando significado para a vida, muitas pessoas insistem em procurar a felicidade somente no consumo.

Ora, não se pode “comprar” a felicidade, e quem não percebe isso acaba querendo cada vez mais coisas para preencher o vazio existencial. Quem tenta ser feliz apenas a partir das coisas que possui está tentando transportar água em um balde furado. A água escorre e precisa ser reposta, a não ser que se consertem os furos.

Essa situação aparece em um filme que retrata Hollywood na década de 30 chamado Os Insaciáveis. É inspirado no livro de mesmo nome do autor americano Harold Robbins, que também escreveu Os Libertinos, Os Implacáveis e outros personagens-título designados por atributos nada elogiosos. Os romances foram traduzidos para o português por Nelson Rodrigues, que os classificava como “um momento da estupidez humana”. Apesar disso, esses livros e filmes fizeram o maior sucesso.

Robbins se considerava um moralista, e usava uma técnica literária primitiva: mostrava o que de pior há na alma humana, permitia o sucesso do vilão para então puni-lo no final.

O insaciável em questão era um produtor de filmes que queria ter o máximo de poder em Hollywood, ganhar todo o dinheiro e ter as mais belas atrizes à disposição. Para realizar seus desejos não poupava nem os aliados, que se transformavam em joguetes em suas mãos. Acabou quebrado e sozinho.

O filme é ruim, e o livro, questionável, mas o tema é inquietante porque mexe com uma faceta da condição humana que é a de querer ter tudo, ultrapassando os limites da necessidade e da própria dignidade.

O título do filme em inglês é The Carpetbaggers, expressão americana usada para designar os nortistas que, após a Guerra Civil, se aproveitavam da desorganização reinante no sul para roubar e tirar o máximo de vantagem.

Transformavam tapetes em sacos para transportar objetos roubados, daí o nome carpetbagger, “aquele que carrega um saco feito de tapete”. Nada mais deprimente.

E nada mais estúpido, pois os soldados que assim procediam não conseguiam transportar também suas próprias provisões e armas, o que fazia com que acabassem perdendo o que haviam roubado por não poderem se manter ou se defender. Queriam tudo, e acabavam ficando sem nada.

domingo, 9 de outubro de 2011

Lições

Não sei de quem é o texto! Correu pela net como de autoria de Arnaldo Jabor. mas ele desmentiu e quem conhece Jabor, nota o estilo diferente.
No entanto, é interessante e bastante educativo.
Leiam o texto, e parem pra pensar: Por que os casamentos antigos duravam tanto?


1º - Não existe homem fiel.
Vc já pode ter ouvido isso algumas vezes, mas afirmo com propriedade. .
.
Nenhum homem é fiel, mas pode estar fiel (ou porque está apaixonado, algo que não dura muito tempo - no máximo alguns meses - nem se iluda) ou porque está cercado por todos os lados (veremos adiante que não adianta cercá-lo. (Isso vai se voltar contra vc).
A única exceção é o crente extremamente convicto. Se vc quer um homem que seja fiel, procure um crente daqueles bitolados, mas agüente as outras conseqüências.

2º - Não desanime.
O homem é capaz de te trair e de te amar ao mesmo tempo.
A traição do homem é hormonal, efêmera, para satisfazer a lascívia.
Não é como a da mulher.
Mulher tem que admirar para trair; ter algum envolvimento.
O homem só precisa de uma bunda.
A mulher precisa de um motivo para trair, o homem precisa de uma mulher.

3º - Não fique desencantada com a vida por isso.
A traição tem seu lado positivo. Até digo, é um mal necessário.
O cara que fica cercado, sem trair é infeliz no casamento, seu desempenho sexual diminui (isso mesmo, o desempenho com a esposa diminui), ele fica mal da cabeça.
Entenda de uma vez por todas: homens e mulheres são diferentes.
Se quiser alguém que pense como vc, vire lésbica (várias já fizeram isso e deu certo), ou case com um viado enrustido que precisa de uma mulher para se enquadrar no modelo social.

Todo ser humano busca a felicidade, a realização.
E a realização nada mais é do que a sensação de prazer (isso é química, tá tudo no cérebro).

A mulher se realiza satisfazendo o desejo maternal,com a segurança de ter uma família estruturada e saudável, com um bom homem ao lado que a proteja e lhe dê carinho.
O homem é mais voltado para a profissão e para a realização pessoal e a realização pessoal dele vêm de diversas formas: pode vir com o sentimento de paternidade, com uma família estruturada, etc., mas nunca vai vir se não puder acesso a outras fêmeas e se não puder ter relativo sucesso na profissão.
Se vc cercar seu homem (tipo, mulher que é sócia do marido na empresa).
O cara não dá um passo no dia-a-dia (sem ela) vc vai sufocá-lo de tal forma que ele pode até não ter espaço para lhe trair, mas ou seu casamento vai durar pouco, ele vai ser gordo (vai buscar a fuga na comida) e vai ser pobre (por que não vai ter a cabeça tranqüila para se desenvolver profissionalmente (vai ser um cara sem ambição e sem
futuro).

4º - Não tente mudar para seu homem ser fiel. Não adianta.
Silicone, curso de dança sensual, se vestir de enfermeira, etc... nada disso vai adiantar.
É lógico que quanto mais largada vc for, menor a vontade do homem de ficar com vc e maior as chances do divórcio.
Se ser perfeita adiantasse, Julia Roberts não tinha casado três vezes. Até Gisele Bunchen foi largada por Di Caprio, não é vc que vai ser diferente (mas é bom não desanimar e sempre dar aquela malhadinha).
O segredo é dar espaço para o homem viajar nos seus desejos (na maioria das vezes, quando ele não está sufocado pela mulher ele nem chega a trair, fica só nas paqueras, troca de olhares).
Finja que não sabe que ele dá umas pegadas por fora.
Isso é o segredo para um bom casamento.
Deixe ele se distrair, todos precisam de lazer.

5º - Se vc busca o homem perfeito, pode continuar vendo novela das seis.
Eles não existem nesse conceito que vc imagina.
Os homens perfeitos de hoje são aqueles bem desenvolvidos profissionalmente que traem esporadicamente (uma vez a cada dois meses, por exemplo), mas que respeitam a mulher, ou seja, não gastam o dinheiro da família com amantes, não constituem outra família não traem muitas vezes, não mantêm relações várias vezes com a mesma mulher (para não criar vínculos) e, sobretudo, são muuuuuito discretos: não deixam a esposa (e nem ninguém da sua relação, como amigas, familiares, etc saberem).
Só, e somente só, um amigo ou outro DELE deve saber, faz parte do prazer do homem contar vantagem sexual.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O PAGODÃO É UNANIMIDADE(SIC)

O CORREIO DA BAHIA contratou um instituto chamado Futura(www.futuranet.ws)do Espirito Santo para fazer uma pesquisa sobre o gosto musical do baiano(Correio edição 21/08/11. A tal pesquisa revelou dados interessantes, vejam os números da pesquisa:

Pessoas pesquisadas: 601
Por sexo: Homens 45,3%, Mulheres 54,7%
Idades:
16 a 19-13%
20 a 29-31%
30 a 39-24%
40 a 49-14,3%
50 a 59-8,5%
60 ou mais-9%

Mesmo neste universo a MPB ficou em primeiro lugar e o pagode em segundo. Notem que os prováveis pesquisados que podem ter dito preferir MPB( dos 40 aos 60 anos) são apenas 31,9 dos pesquisados.Outras informações interessantes foram levantadas:
O Axé ficou en 4º lugar com 4,35%.Atrás até do Sertanejo, mas se juntar o Rock(3,2%) e o Pop Rock ( 2,3%), da 5,5% o que faria o Axé cair para 5º lugar.
Tambem tem o fato de 53% dos entrevistados terem dito não gostar de nenhuma banda de Pagode.

O ranking das bandas de Pagode ficou assim:
Harmonia do Samba 16( em %)( dos males o menor)
A Bronkka 6
Parangolé 5,5
Saiddy Bamba 5,2
Black Style 4,2
Psirico 2,7
É o Tchan 1,7
Pagodart 0,7
Lava Noiz 0,5
Guig Gueto 0,3
Os Bambaz 0,2

Um breve estudo de comportamento pode dizer que entre os fãs de pagode baixaria( o que exclui os fãs do Harmonia)o que predomina é o consumo imediato, ou seja a banda preferida é a "do momento", a que está na Mídia( A Bronkka todo dia está no Bocão).

Quanto a classes sociais a pesquisa revela o seguinte:
Axé- Classes A/B 6,1( Este é mesmo percentual de quem curte Rock e Musica Clássica)
Pagode e sertanejo estão entre as classes C/D e E, 13 e 10,6% respectivamente.
A pesquisa conclui que o Axé elitizou-se, afastando-se das camadas mais populares( leia-se "pobres"). Seja na linguagem, seja nos preços das festas, blocos e shows.

Conclusão?
Pagodão é coisa de pobre, com baixo nível educacional, incapaz de compreender uma letra mais aprimorada e de pagar por um espetáculo com uma produção mais cara.
Não satisfeito com o resultado o Correio( afinal a intenção omitida aqui é outra), em sua edição de hoje( 22/08/11),publicou uma reportagem onde o titulo é "O PAGODE É UNANIMIDADE".
Bem, parece que o significado de "unanime" foi modificado, pois segundo o Correio, 10,5% basta para algo ser "unanimidade".

A justificativa do periódico é a repercussão que o resultado causou nos leitores, com pagodeiros discordando.

Uma equipe foi até a orla na praia de Amaralina- normalmente frequentada por moradores do Nordeste, Santa Cruz e Chapada ou como preferem os "teóricos da pobreza": "do gueto"- e lá "constatou" que "o povo gosta de pagodão".
"MPB?Esta maluco?? Salvador é só quebradeira!" Disse um dos entrevistados, que no momento estava curtindo pagodão que saia do "trio eletrico" instalado na mala de um carro, na beira da praia.
Reduzia assim um universo de mais de 2 milhões de pessoas ao seu gosto pessoal.
Profissão: Auxiliar de escritório, idade 29 anos.
Ou seja, Um homem adulto com profissão de garoto iniciante( ou sub-emprego).

"...o som do momento é Saiddy Bamba..." disse o fotografo e dono do carro no qual "rolava" o som, referindo-se ao "sucesso do momento"(SIC) SIM,SIM,SIM,NÃO,NÃO,NÃO!
"Essa é maneira da mulher dizer que tá afim de um cara !"
Reduzindo as mulheres a categoria de "bichos" que usam a "cauda" para atrair machos!
E ainda completou: " O Harmionia é o começo de tudo, e sem eles não existiriam as bandas de hoje!" Comentando o resultado da pesquisa e mostrando um total desconhecimento da historia da "musica baiana".

Outro comentário interessante veio de uma fã:"Até 2009, eu só curtia axé, mas depois só pagode mesmo"
Levando-se em conta que a autora do comentário tem 19 anos, e que em 2009 tinha apenas 17- a faixa etária de segiuir modismos- vemos mais uma prova da "fidelidade" dos fãs de pagode.
E se um nome é capaz de revelar a origem de uma pessoa, basta saber que a dona do comentário chama-se Jarbileine e com 19 anos declara-se estudante.

Outra "estudante" chamada Itailaine, 22 anos "que minutos antes de falar com a reportagem quebrava até o chão" tambem é dona de comentários interessantes.
"Axé parece coisa de GENTE AMARELA,classe média"
Nos dando uma pista da "origem" dos fãs de pagode e mostrando um "preconceito as avessas"!
Grupos negros teriam uma sincope e exigiriam a prisão por "racismo" de alguém que formulasse a mesma frase trocando o AMARELA por PRETA!
Mas, Itailane não para por ai!
Segundo a reportagem do Correio "protesta contra o PROJETO DA DEPUTADA LUIZA MAIA QUE PRETENDE COIBIR A DIFUSÃO de pagodes com letras CONSIDERADAS OFENSIVAS as mulheres!
"O pagode faz sucesso por que a mulherada gosta"( mais uma que reduz ao seu universo o gosto alheio)

Aqui eu farei uma considerações sobre este paragrafo, notem que a reportagem usa as palavras "COIBIR A DIFUSÃO" e "CONSIDERADAS OFENSIVAS"

No primeiro caso usa de um exagero, pois o projeto não visa COIBIR NADA, apenas tenta proibior que dinheiro público seja usado para patrocinar tais músicas.
No segundo caso tenta colocar uma nuvem sobre o fato de que muitas das músicas( a maioria)são REALMENTE ofensivas as mulheres( as que se respeitam pelo menos).
Quando o Leitor lê: "CONSIDERADAS". A mente dele procura logo perguntar: "Quem considera" e isso pode ser interpretado como CENSURA, o que não é!
Aqui a reportagem mostra seu real objetivo que é defender a manutenção do financiamento com dinheiro público de bandas de pagode, o que caso o projeto da deputada seja aprovado ameaça os lucros do Correio e de muitas outras Empresas de comunicação que faturam alto com MuquiFest, Salvador Fest, e Festival de Verão!

Voltando ao comentário da fã Itailane, ela repete um jargão muito usado pelos pagodeiros " Curte quem quer"
Só esquece a entrevistada que provavelmente alguém nos prédios em frente "não curtem", mas, são obrigados a "engolir" ouvido abaixo o gosto musical dela, pois os fãs de pagode cultuam o habito de exibir seus "trios elétricos", nas ruas, sem importar-se com quem "não curte".

O Correio ainda coloca em sua "reportagem" a opinião de "experts", como é o caso do "reporter especial" ( Que porra é isso?), Osmar Marrom, que diz que: " O enfraquecimento do Axé deve-se a falta de conexão com a realidade dos guetos...já os pagodeiros produzem musicas que falam a língua do povo"

O Correio( pertencente a Rede Bahia) , assim como a maioria dos meiso de comunicação do nosso Estado, patrocina as festas hoje ameaçadas pelo projeto da deputada Luiza Maia. Procuram incutir na mente do povo que o projeto quer "PROIBIR".
Procuram embasar suas ideias com declarações de "formadores de opinião"- sociólogos, antropólogos e "repórteres especiais".

Normalmente profissionais com baixa, ou nenhuma produtividade nas áreas que militam. E que para justificar seus títulos de doutores, dão opiniões polêmicas na mídia.
No caso do "repórter especial" -Leia-se colunista de fofoca ou de celebridades- são pessoas que vivem do boca-livre, frequentam camarotes, festas vips, etc, sem gastar um tostão sempre convidados pelos artistas ou seus empresários. E quando um artista os esquece...cai na lista negra do "repórter" que passa a usar sua coluna para atacar o artista!
Fingem estes formadores de opinião, estarem agindo de forma politicamente correta, tentando colocar na mente das pessoas que a baixaria, o desrespeito ao sexo feminino, a apologia ao crime e a droga é a "linguagem do geuto"- GUETO! palavra que já foi pejorativa-é a linguagem popular!
Como se ao povo - E talvez seja isso que desejam- só restasse isso: sexo drogas e alcool!

É uma "nova elite. A elite do gueto. Os que de lá saíram,mas, não querem que os outros os sigam. Pois isso pode desvalorizar "sua luta".
Dizem não renegar suas origens, mas, basta uma breve busca em seus carros, em suas casas e veremos que os sociólogos, antropólogos e repórteres defensores da linguagem do gueto, gostem mesmo é de Bethania e Caetano!

Alguém já viu o Correio patrocinar "casadinha" para uma peça teatral ou para o Balé Folclórico?
Alguém já se preguntou por que os programas esportivos ocupam mais tempo na TV, e mais espaço na imprensa escrita do que informações sobre politica ou sobre os problemas da cidade?
Ou por que no domingo os programas jornalisticos são tão tarde e seu domingo é preenchido com Namoros na TV e Dança dos Famosos?

Manter o "Gueto" no gueto é a melhor forma de dominação. Alçar a baixaria ao status de "cultura popular" é a melhor forma de manter o povo na ignorância!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Quando a esmola é demais...

Apo´s toda a discussão, depois da constante insistência da prefeitura em Escolher o BRT como modelo de transporte para a Av.Luis Viana Filho( Paralela). Escolha esta que só iria beneficiar os empresários do transporte coletivo(SETPS).
Depois de toda a briga, atraso, indisposição politica...
O SETPS resolve, visando puramente "o interesse da população",munidos de profundo "espírito público", oferecer 600 milhões de reais para financiar as obras na Paralela, desde que o modelo escolhido seja o BRT.
Não sei se rio ou se choro!
O SETPS é conhecido por sempre pedir aumento da passagemd e ônibuss em dar o devido retorno, por servir mau a população com ônibus velhos, por cobrar horários estressantes de seus funcionários, por NUNCA, NUNCA mesmo, ter se preocupado com o "bem estar do passageiro", por -segundo teorias da conspiração que correm a cidade- ter atrapalhado as obras do metrô por que este ameaçaria seus lucros.
E agora depois que viram seus planos de continuar dominando o modelo de transporte da cidade, mantendo-a no atraso, depois da decisão do Governador do Estado pelo modelo do metrô, são tomados pelo espírito de São Francisco de Assis, oferecem-se para financiar as obras, deixando as verbas do Governo para serem investidas nos bairros periféricos.
O pior é que tem gente que vai entrar na onda e vai defender que o governo deve aceitar!

O caso das "garotas da Villa Mariana"

Todos devem ter visto o caso das meninas que praticavam roubos nas lojas da Villa Mariana- São Paulo.(Dia 08/08/11)
Um grupo de nove meninas,entre 5 e 12 anos que vinham praticando furtos e arrastões nas lojas do bairro e já tinham sido presas 15- isso mesmo!- vezes.
Numa das ultimas prisões durante a reportagem que falava do caso, o repórter informou que depois de menos de 24 horas as garotas já estavam nas ruas.
O ECA Diz que menores de 12 anos não podem sofrer pena restritiva de liberdade.VIVA O ECA!
Mas, o ECA também prevê diversas medidas para que estas garotas sejam assistidas, e no entanto parece- é o que deixa claro o fato delas terem sido detidas 15 vezes e continuarem praticando o mesmo delito, no mesmo lugar-que a unca parte do ECA que é aplicada é a parte que torna impune crianças e adolescentes.
Menos de uma semana( 12/08)depois as garotas voltaram ao noticiário, Mais uma vez detidas por furtos.
Só que desta vez o delegado titular do 36.º Distrito Policial (Paraíso), Márcio de Castro Nilsson, decidiu prender ontem, por abandono de incapaz, quatro mães, que foram lá pegar as filhas.
“Que isso sirva de lição para que os pais saibam por onde andam seus filhos”, disse Castro. As mães serão encaminhadas a um Centro de Detenção Provisória (CDP). Para o delegado, elas sabiam da conduta das filhas. Uma delas, diz Castro, chegou a dizer que não conseguia controlar a filha e evitar que ela fizesse “coisa errada”.
A muito tempo os comerciantes de Villa Mariana suspeitavam que havia participação de adultos nos furtos, só não podiam comprovar. Mas parece que ontem a suspeita foi comprovada:
“O que é que você estava fazendo lá? Mas é besta de voltar para o mesmo local do crime”, disse ontem outra mãe em conversa com a filha na delegacia.
Este dialogo foi gravado por um repórter de TV.

Este caso é apenas mais um que deixa claro que O ECA no seu atual texto, só fez aumentar o problema da criminalidade entre crianças e adolescentes. Tornando estes Praticamente "iniputáveis" e sem que se tome nenhuma providencia contra os pais que deixam estas crianças nas ruas, e muitas vezes as usam para praticar os crimes.
Quando vamos acordar para o fato que estamos criando um Monstro que vai nos engolir?
Quando a imbecilidade vai dar lugar a medidas efetivas, que realmente protejam as crianças que precisam de proteção e puna as que comentem "atos infracionais"?
Quando Vão enteder que "eufemismos" e nomes pomposos" não vão resolver o problema?
Pois o problema não está em como chamamos o demônio, mas nos atos deste!
Quando vamos acordar?
ENTENDA TODO CASO:
http://www.encontravilamariana.com.br/blog/




SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS 3

Cruz Souza

Nas largas mutações perpétuas do universo
O amor é sempre o vinho enérgico, irritante...
Um lago de luar nervoso e palpitante...
Um sol dentro de tudo altivamente imerso.
Não há para o amor ridículos preâmbulos,
Nem mesmo as convenções as mais superiores;
E vamos pela vida assim como os noctâmbulos
à fresca exalação salúbrica das flores...
E somos uns completos, célebres artistas
Na obra racional do amor -- na heroicidade,
Com essa intrepidez dos sábios transformistas.
Cumprimos uma lei que a seiva nos dirige
E amamos com vigor e com vitalidade,
A cor, os tons, a luz que a natureza exige!...

terça-feira, 26 de julho de 2011

Vamos ao teatro?


Recomendo a peça “Nú Buzú” trata, de forma divertida, do cotidiano do baiano que utiliza o ônibus como meio de transporte, com seus diversos comportamentos que chegam a parecer um verdadeiro teatro, quando observados. Duas mulheres travam um diálogo: uma senhora nada convencional e uma mais jovem religiosa. Um gay extravagante e politizado que está sentado no banco de trás observa toda a conversa com reações hilariantes, como é de costume se fazer em ônibus: ouvir a conversa dos outros. “O espetáculo chama a atenção para dois pontos distintos: a solidão - desperta uma reflexão sobre o quanto o ser humano encontra-se sozinho, como as pessoas aproveitam essas oportunidades do dia-a-dia para desabafar com estranhos, que servem até de psicólogos, e a Convivência social coletiva – Desrespeito às leis de uso do transporte público, eternos atrasos dos ônibus, educação doméstica, etc”, explica a atriz e diretora Tânia Tôko.( Neuzão de Ó PaÌ Ó)
Com trilha especialmente composta para o espetáculo por Maurício Lourenço e Luis Almeida, NÚ BUZÚ promete divertir e chamar a atenção da população sobre a coletividade, sociabilidade e respeito ao cidadão comum.
segue em temporada no Espaço Xisto Bahia, no Barris, sempre às quartas e quintas-feiras, às 20h, até o dia 28 de julho. A peça tem censura de 12 anos e custa R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira).

Recomendo Também!

O espetáculo Paradox



As apresentações acontecem de quarta a sábado, até o dia 30
A dança contemporânea, com referências da valsa, do tango e do hip hop, ocupa salões, pátios, parapeitos de varandas, escadarias, sacadas e fachada do Palácio Rio Branco, um dos mais antigos do Brasil, localizado no Centro Histórico, a partir desta quarta-feira, às 17 horas, com entrada franca.
Por lá acontece a estreia do espetáculo Paradox, que leva ao palácio e à Praça Municipal 30 dançarinos que apresentam proposta que aborda a relação do corpo com a arquitetura, tendo a historiografia como um dos eixos do trabalho.
A iniciativa de apresentação nas dependências e no entorno do palácio, que começou a ser construído pelo primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa, no século 16, é da coreógrafa Leda Muhana, uma das criadoras do grupo Tran Chan e atual diretora da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia.
“O nome Paradox sinaliza para paradoxo, para a ambiguidade. Nesta montagem está presente a relação do novo com o antigo, os tempos históricos diferentes, o diálogo de linguagens”, afirma Muhana, que trabalha criativamente com a questão da percepção, da instabilidade e equilíbrio, do jogo, do mosaico.
“O espetáculo não tem uma narrativa linear, não tem uma relação de causa e efeito. A dança surge de forma diversificada e inesperada. As sequências não são previsíveis”, acrescenta.

Suspensão de corpos

A montagem, que fica em cartaz até o dia 30, sempre de quarta-feira a sábado, no mesmo horário, tem muitos ingredientes para agradar ao público. Entre as 13 cenas, destacam-se uma, em que há a suspensão de corpos pelos cabelos de uma dançarina, e outra, em que dançarinos se exibem como numa cerimônia de chá, com xícaras e pratos e copos, mas sem cadeiras.

Os que gostam de emoções, vão ver uma dupla dançando tango na balaustrada de uma varanda, que dá para a Baía de Todos os Santos.

Participação

O público pode participar de diversas maneiras, como, por exemplo, manipulando a manivela de uma caixa de música, com uma bailarina viva.

Leda Muhana entrega que “também ocorre no grande salão um baile que terá a participação do público”.
Imagética, a montagem traz ainda dançarinos que viram peças de um enorme jogo de xadrez. Este jogo depois se transforma em uma rinha de galo.

Muitas cenas são simultâneas. “A simultaneidade possibilita que o público faça a opção do que ver“, afirma Muhana. Na trilha sonora de André Rangel, A Ave Maria, de Schubert, faz referência ao bombardeamento do palácio, ocorrido em 1912.

Fontes A TArde e Ibahia!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

A inversão de valores

Morreu Kelly Cyclone. vida longa a Kelly Cyclone!
Esta semana foi morta a garota conhecida colo Kelly Cyclone, conhecida por suas relações intimas com traficantes e assaltantes, morreu como viveu, da forma que morre todos os VIDA LOKA, Estilo(???) de vida admirado por ela e todos os jovens sem cultura, e sem uma familia que os oriente. Kelly tinha tatuado no corpo a frase VIDA LOKA.
Saida do anonimato após ser presa numa "festa do pó" No bairro da Boca do Rio, Kelly foi alçada ao status de "celebridade" pelo apresentador Bocão( Zé Eduardo) que apresenta o Se Liga Bocão.
Bpcão passou a defender Kelly, surgindo até uma ideia de lança-la vereadora(Caralho!).
Após sua morte Kelly ocupou quase que inteiramente o programa de Bocão, que a elogiava e dizia: "Não estou aqui para julgar"- ha tá, senta lá Claudia-. Enquanto isso no concorrente: Na Mira, da Tv Aratu, a "Loira" Analice, descia o pau!Mostrando a verdadeira face de kelly, e criticando o concorrente.
Em suma, Kelly ocupou todo o horário dos dois programas.
No dia seguinte foi capa e noticia dos principais jornais da cidade, o Correio inclusive fez uma matéria de 4 paginas sobre ela, com emtrevistas a parentes e tal.
Pois é! Kelly é noticia!
No mesmo dia dois policiais morreram num ataque covarde ao posto fiscal de Rosário , a 300km de Barreiras.
Pelo menos 10 homens armados, em 3 carros , atacaram os PMs durante a madrugada, haviam 6 policias no posto.
O destaque dado a estas mortes?
Uma pequena nota numa pagina perdida de um jornal, com apenas um paragrafo, Uma nota no site do Bocão News(PQP!)e nada mais!
Assim é tratado quem defende a sociedade!
Homens que arriscam suas vidas para que a população possa ter um minimo de sossego, são esquecidos, rebaixados a estátisticas. Provavelmente o Sr. Yulo Oiticica, deputado do PT deve estar feliz agora, pois morreram policias, já que a critica dele é que nos ARs "só morre de um lado"- o lado do bandido-( tenho um texto pronto sobre este assunto, depois vou postar aqui).
Ninguem foi entrevistar as familias dos PMs mortos, na capital ninguém ficou sabendo- Rosário é longe pra cacete, divisa com Goiás-, e ninguém se interessou!
Não vai ter "romaria" no tumulo dos PMs, o povo não vai criar comunidades no orkut em homenagem a eles, o governo não vai divulgar( afinal é um dado que depõe contra a politica de segurança pública, e contra o "pacto pela vida").

Para que não sejam esquecidos aqui está o nome dos PMs mortos e dos feridos!

Evangenaldo Oliveira Santos, baleado nas costas, e Aires Soares Santos atingido no pescoço, morreram no local.
Abdias Souza Santos, foi ferido na perna e levado inicialmente para o hospital de Posse, em Goiás, sendo transferido posteriormente para o Hospital do Oeste, em Barreiras (Bahia), onde foi submetido a cirurgia. Ele não corre risco de morte, segundo informações do hospital. Todos as vítimas eram lotadas no município de Santa Maria da Vitória.

Que Deus reserve um lugar de honra para os companheiros mortos e amapare os feridos. Pq só Deus mesmo, pois o governo e a sociedade estão mais interessados nas Vidas Lokas!

terça-feira, 28 de junho de 2011

O Caminho das Pedras

Existem na net, centenas de sites que dão dicas de relacionamento para homens e mulheres. Muitos deles com boas dicas, a maioria com coisas obvias e muitos cheios de lixo.
Mesmo assim, ainda vejo pulular nas redes sociais, centenas de comunidades, tópicos, e postagens de pessoas que dizem ter dificuldades em se relacionar com o outro sexo. Na maioria das vezes, a maior dificuldade é "chegar" na pessoa, paquerar...

Aprendi na minha longa caminhada no mundo da paquera/namoro/casamento, que não existe RECEITA. Cada caso é um caso. O que funciona com uma pessoa pode ser um desastre com outra.
Mas, não desanimem, existem "certas manhas, e a maioria delas você pode encontrar nos sites da net, outras você aprende na prática.
Vou dar algumas dicas( para homens) sobre paquera e conquista, principalmente nas redes sociais
( Faceboock, Badoo...), locais estes que estão lotados de pessoas a procura de "cara-metade".


1ª dica: Não seja uma delas!

Não faça parte da "maioria". Não mostre que você está ali a procura de sexo/namoro/etc. Deixe claro que você está ali para se divertir, fazer amigos...
Quando você chega, já "atacando", assusta as pessoas, parece estar desesperado.
Vá com calma! Porque. quando você der atenção especial a uma garota, ela não vai pensar que ela é apenas "mais uma que você quer comer";

2ª dica: Seja inteligente!

Lembre-se , a net é um lugar onde é fácil mentir. Você não sabe se a foto no perfil é realmente da pessoa, se ela realmente pensa da forma que diz pensar sobre certos assuntos...Então, seja inteligente.
Debata com inteligência, pesquise sobre o assunto -se você desconhece o tema-   antes de opinar, e acima de tudo...seja verdadeiro. Mesmo que a garota que te interessa tenha opinião contrária. Se você debater com ela de forma inteligente, vai impressionar mais do que se vocês concordassem;

3ª dica:
Mire um alvo!( Isso vale para o mundo real também)

Não seja um FRANCO-ATIRADOR- que atira em tudo que se move - mire um alvo e invista. Caso existam vários alvos ao mesmo tempo interessadas em você, passe para a dica seguinte;

4ª dica:
 Seja a caça!

Quando você nota que chamou a atenção de mais de uma garota...NÃO CACE, SEJA A CAÇA!
O alvo agora é você. Seja doce,educado e sincero com todas, mas, sem escolher uma favorita. Se você eleger uma favorita e não der certo , as outras não vão mais te querer.
"MULHER NÃO GOSTA DE SOBRAS". Elas tem a necessidade de saberem que foram as primeiras. Fora que não gostam do "derrotado". LEMBRE-SE! Se as outras te querem, você é um prêmio ( mulher adora disputa) a ser conquistado. Mas, se a outra não te quis... você é "fracassado" e ela não vai querer "prêmio de consolação" (Isso também vale na vida real);

5ªdica:
Seja auto-confiante!

Esta deveria ser a primeira dica. Mulher não gosta de homem inseguro- de inseguranças já basta as delas- por mais feio que você seja, sendo auto-confiante você domina o ambiente. Ou você nunca viu uns caras feios feito o demônio com mulheres bonitas?
Os otários dizem que é por que o cara tem dinheiro e espalham que "toda mulher é interesseira". E as vezes é.
Mas, pense na equação: DINHEIRO=PODER=AUTO-CONFIANÇA.
Então mané se você não tem dinheiro, nem poder tenha pelo menos AUTO-CONFIANÇA.
Você não vai conquistar as "gatas mercenárias lindas", mas pode conquistar aquela mulher que quer carinho e atenção ao invés de grana e carro;

6ª dica:
Tenha um estilo!

Sua fotos estarão em seu perfil e álbuns então saiba se vestir, Arrisque! Mulher adora homens charmosos. Aquele lance de "James Bonde come todo mundo" não é mentira, se existisse um cara, com o charme do personagem , ele comeria todo mundo- Sabendo se vestir = 40 pontos!.
Que tal arriscar um sapato bi-color com calça jeans?

7ª dica:
Tenha um cheiro próprio!

Esta é pra a vida real, quando você já conseguiu fazer ela aceitar te encontrar.
Procure perfumes fora da moda, aprenda algo sobre perfumaria- a diferença entre cítricus e adocicados, amadeirados e frugais...- A pior coisa é ter um cheiro "que todo mundo tem", usar o perfume que todo mundo usa!
De preferência tenha dois perfumes: um para o trabalho, outro para a balada( ou para sair com ela).Assim quando ela sentir o cheiro do SEU perfume, lembrará automaticamente de você!
Pulo do gato 1: As perfumarias dos Shopppings tem bons perfumes de 40, 50, 60 reais. Procure fugir dos NATURAS e BOTICÁRIOS da vida - Caros e todo mundo usa - Não que você não possa usar, mas só quando dominar a arte da escolha do "seu cheiro", é que você será apto a usar até mesmo AVON!

8ª dica:
Saiba dançar!

Não! Não estou falando de "PAGODÂO"! Dançar é dançar agarrado( forró, "lenta", pode ser lambada...(até arrocha é aceitável) Contanto que tenha contato físico, olho no olho e toque de mãos.
Acredite em mim, este é um diferencial ENORME!

9ª dica:
Aprenda um pouco sobre vinhos!


Mesmo que seja o velho macete de combinar o vinho com o prato, mas CUIDADO!
Branco---> Frango/peixe
Tinto---> carne
Rose---> ????
Saia do velho circúito: cerveja>>>carne-do-sol>>>cerveja>>>fritas>>>cerveja>>>carne-do-sol com fritas...
Existem bons vinhos a R$11,00 a garrafa( vinho caro, não é sinônimo de vinho bom).
Compre duas garrafas por mês e beba ( Pérgola é um bom vinho mas é muito comum).

10ª dica:
Aprenda a cozinhar!

Não, não é simplesmente: feijão , arroz carna assada. Estou falando de COZINHAR.
A net está cheia de sites com receitas. Aprenda a fazer pratos com novos ingredientes.
Se existe uma coisa que seduz uma mulher é um homem na cozinha-principalmente se esta não for a praia dela-, a cozinha ainda é considerada "território feminino", e as mulheres modernas a enxergam como "lugar de prisioneira", quebrar estes tabus faz com que uma mulher te veja com outros olhos.
Melhor que um convite para jantar , é um convite para jantar um prato feito por você para ela, e ai é que entra o vinho.
Aconselho filmes antigos pra pesquisa!
Além do mais, pense numa vantagem, o convite é para jantar "na sua casa"...

11ª dica:
Esta é importante!

Você conquistou a mulher , ela está na sua, VOCÊ É O CARA!
Mas...Seja sincero quanto as suas intenções. Se você está afim só de curtir o momento ou se você quer tentar um relacionamento. Curtir o momento não significa uma trepada e xau, porque se for isso esqueça todas as dicas e simplesmente suma após o primeiro encontro.
Claro que uma mulher adulta sabe que num primeiro momento, a atração é física e sexo( ninguém se apaixona pelo outro no mesmo dia que conheceu, e pior ainda , ninguém se apaixona por alguém que só conhece pela internet ), mas quando as pessoas se identificam e sentem-se bem ao lado de outra, elas querem se ver outras vezes, é dai que nasce um sentimento.
Se você não quer alimentar expectativas, siga estas dicas, mas deixe claro que você está "curtindo o momento", sem pensar no que pode vir. Que você quer ter a opção de não se comprometer e está com ela por que sente-se bem.
Mas que não está exclusivo PARA ELA!
AGORA LEMBRE-SE, isto quer dizer que ela também não está exclusiva para você. Então não dê crise de "namorado traido" caso ela saia com outra pessoa.

12ª dica:
Estas dicas são para conquistar, mas depois da conquista vem a responsabilidade de manter o território ganho.

Então lembre-se...siga estas dicas também durante todo o tempo que durar o relacionamento, e acima de tudo SEJA CRIATIVO e crie novas idéias de como conquista-la sempre.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

ODIOSA NATUREZA HUMANA

Escolhi como titulo deste texto o titulo da musica do Matanza, por que na hora do fato que vou narrar era o q estava tocando no meu celular, o que foi uma tremenda coincidência. Nunca uma musica caiu tão bem numa situação.

Ontem estava a caminho do trabalho, no ônibus, sentado na quarta fileira de cadeiras, atrás do motoristas.
Pela porta da frente, subiu um senhora com uma criança nos braços, esperei para ver se alguém nas fileiras da frente dariam o lugar a ela, o que não aconteceu. Mesmo tendo várias mulheres sentadas, ninguém se dispôs a dar o lugar aquela senhora. Levantei e dei meu lugar a ela.
Aqui começa as demonstrações de que o ser humano é em sua essência PODRE!
Não recebi um "OBRIGADO" pelo meu ato, a desgraça humana em forma feminina sequer agradeceu.E pra fazer-me ficar completamente arrependido por ter sido educado de forma correta, ela desceu UM PONTO APÓS TER EMBARCADO!
Isso mesmo! A desgraçada desceu no ponto seguinte!
E foi ai que tive outra demonstração da ODIOSA NATUREZA HUMANA! Atrás da cadeira que eu estava sentado- e cedi aquele ser humano desprezível, que ainda teve coragem de colocar outro ser humano no mundo( pobre criança)-estava sentada uma senhora de seus 50 anos, quew juntamente com outra energumean começaram a rir dda minha desgraçada ação.
Riam muito, e uma ainda falou: - "Olha a cara dele!"
Retirei o fone do ouvido, e disse as duas: "infelizmente, ser educado virou motivo de piada"
Tentaram se desculpar, dizendo que não riam de mim, a amiga delas- que ocupou a cadeira que cedi- tentou me devolver o lugar, mas eu não aceitei.
E no fone do celular Jimmy London dizia:
....
Chame de misantropia ou como quiser
Mas você não me engana
Não perde quem desconfia
Culpa da nossa tão odiosa natureza humana
...
Este é o ser humano. o que exige menos violência, mais educação...
Aprendi com minha avó e com minha mãe que educação você "trás de casa", ceder lugar a idosos, mulheres grávidas ou com crianças e a pessoas deficientes era lei lá em casa antes mesmo que se tornasse lei no país.
Na minha época de criança, não era necessário uma lei e cartazes para que as pessoas fossem educadas!
No entanto hoje vejo que o sentido de educação foi esquecido, vilipendiado, seviciado e morto!
A pessoa educada passa por OTÁRIO! Um idiota que cedeu seu lugar a uma criatura que sequer sabe mostrar gratidão por quem se preocupou com sua condição.
E que por ser educado virou motivo de piada, pois poderia continuar sentado fingir que não viu o outro ser humano e sua dificuldade, fechar os olhos e fingir que dormia...Mas a formação recebida na infância foi mais forte, e tornei-me a "felicidade" da viagem de duas imbecis, duas energúmenas que fazem parte desta "humanidade" que acha que "a miséria a alheia é engraçada".

Odiosa natureza humana!

Se todo mundo fosse embora
E só eu ficasse aqui
Eu teria nessa hora
Um bom motivo pra sorrir
Se tudo desaparecesse
E nao ficasse mais ninguém
Somente num dia desses
Eu passaria muito bem
Sonho que eu tenho por noites seguidas
Do mundo acabando num belo dia
Sem choro nem despedida
Mesmo porque ninguém se conhecia
Chame de misantropia ou como quiser
Mas você não me engana
Não perde quem desconfia
Culpa da nossa tão odiosa natureza humana
Sonho que eu tenho por noites seguidas
Do mundo acabando num belo dia
Sem choro nem despedida
Mesmo porque ninguém se conhecia
Chame de misantropia ou como quiser
Mas você não me engana
Não perde quem desconfia
Culpa da nossa tão odiosa natureza humana
...............

terça-feira, 3 de maio de 2011

SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS 2






Amo-te tanto meu Amor – Vinícius de Moraes
Por que amo Vinicius e com ele me identifico porque como ele...Amo as mulheres, estes seres incompletos, inconstantes, inteligentes e fortes.








“Amo-te tanto, meu amor…não cante
O humano coração com mais verdade…
Amo-te como amigo e como amante
Nunca, sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante,
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de amar assim muito amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude”

Estou produtivo pra caralho (acostumem-se com meu palavreado xulo)

Por isso vou pedir com todo carinho:

COMENTEM ESTA PORRA!
EU NÃO SOU BETÂNIA. O GOVERNO NÃO VAI BOTAR 1,8 MILHÕES NO MEU BLOG, ENTÃO A UNICA MOEDA QUE EU RECEBO PRA CONTINUAR ESCREVENDO SÃO OS COMENTÁRIOS DE VOCÊS, ELES ME DÃO INCENTIVO PARA CONTINUAR.
SENÃO VOU CONTINUAR A ESCREVER NO CADERNO E DEIXAR GUARDADO!

SOBRE POLICIA E POVO

ESTE É UM TEXTO MUTANTE, VOCÊ PODE TER QUE VOLTAR AQUI PARA LER OUTRAS VEZES!ELE É INCOMPLETO E INCONSTANTE COMO SEU AUTOR.
E É GRANDE PRA CARALHO! MAS, TENHA PACIÊNCIA E LEIA ESTA PORRA! E TENHA A CERTEZA: AI SÓ TEM METADE DO QUE EU QUERIA DIZER!



Minha profissão não é tudo que sou, mas define basicamente o que sou!
Entrei na policia há 18 anos, e estaria mentindo para vocês se dissesse que foi por idealismo. Não foi! Entrei na policia porque faltava emprego, estabilidade, na época eu era garçom e só ficava empregado durante a alta estação. Depois do verão era desemprego.
Não dava para fazer poupança, pois ela era gasta nos meses de vacas magras.
Entrei na policia porque um amigo chamou-me. Nunca na minha vida, eu havia cogitado em ser policial.

EU: Fã de rock, estudante que participou de grêmio estudantil, de paralisação de rua exigindo reformas na escola, rebelde sem causa...
Mas um dia, um amigo falou-me: A PMBA estava abrindo concurso e que ser policial era bom: “Vc não é demitido, pode ter dois empregos e assim aumentar sua renda, não paga ônibus...”
E para me convencer mais ainda... Pagou minha inscrição!
Fui fazer a prova. Sou do tipo que “da um boi pra não entrar numa briga e uma boiada pra não sair dela”.
Éramos quatro lá na rua, os que fizeram a inscrição, incluindo o amigo que pagou a minha.
Desses quatro, eu era o que menos estudava. Destes quatro eu era o único casado. Destes quatro só dois passaram. O amigo que tanto me falou das “maravilhas de ser policia”, não foi fazer a prova. No dia fui chamá-lo e ele disse que tinha trabalhado até tarde e não tinha condições (era garçom), por mais que eu insistisse, ele não foi!

No dia do resultado, nem me interessei em ir buscar o resultado. Foram os amigos que trouxeram a noticia de que eu tinha sido aprovado em “terceiro lugar”?().
Não acreditei, era impossível. Eu não havia estudado, como poderia ser o terceiro colocado?
Fui confirmar!
Era verdade que eu tinha sido aprovado, mas, não em terceiro lugar, dos três mil e cacetadas eu era 2800 e alguma coisa. Terceiro lugar só se colocasse a lista de ponta a cabeça!
E assim passei para as outras fases do concurso. Passei em todas, sempre sem me esforçar muito, fazendo só o necessário para ser aprovado (acho que inconscientemente eu queria ser reprovado).
No dia da apresentação um oficial nos perguntou porque queríamos ser policial.
As respostas foram as mais diversas, mas, a mais freqüente era: “Quero ser policial para ajudar/servir a sociedade.”
Há ta! Agora senta lá Claudia.
É claro que havia os ideologistas, os que sentiam vontade “desde criancinha em ser policial”, os que assistiam CHIP’S e Carro Comando (T.J Hooker) e sonhavam – e achavam- que ser policial era aquilo.
Na minha vez, quando respondi que estava na policia por “falta de oportunidade”, causei uma comoção!
-Como assim? Perguntou-me o oficial
- Eu ganhava mais “lá fora” (na vida civil).
- E porque não ficou lá?
-Por que lá eu não tinha estabilidade no emprego, não conseguia fazer uma poupança, talvez aqui eu consiga.
- Você não vai se criar na policia. Ele me disse.
Ainda bem que ele escolheu ser oficial da PM, pois se tivesse escolhido ser vidente, não ganharia nem pro cafezinho.

Já se vão 18 anos, de amor e ódio. Sim! AMOR!
A policia é assim, você odeia a instituição, mas passa a amar o serviço. E poque não dizer: Passa a gostar de “servir a sociedade”, “Servir e Proteger”.
Passei a amar a farda que uso. O serviço, passei a "vibrar"(SELVA).
E hoje isso é meu núcleo!

“SER POLICIAL É UM SARCEDÓCIO”.
Esta e uma das frases que ouvi muito no curso de formação, e não existe coisa mais verdadeira.
O médicO deixa de ser médico ao sair do hospital, o Advogado deixa de ser advogado fora do tribunal... Mas o policial nunca deixa de ser POLICIA! Para o bem ou pro mau dele mesmo!
A dinâmica do próprio serviço não te deixa esquecer que você “É POLICIA 24 HORAS POR DIA”!
Se você for pego no buzu por assaltantes, não vai poder usar a desculpa: “Estou de folga”.
Você vive tenso o tempo inteiro- o que foi motivo de muitas brigas com namoradas, por eu estar sempre olhando para os lados- você está armado o tempo inteiro, e isso te faz lembrar o tempo todo que você é um alvo!
Você é criticado o tempo todo, qualquer erro seu vira manchete:
POLICIAL ATIRA...
POLICIAL MATA...
Mesmo estando de folga, não é o “cidadão FULANO” que mata, é o POLICIAL FULANO!
E as vezes, não precisa nem errar, basta que você se envolva em uma ocorrência onde os bandidos morrem no embate, mesmo assim, a imprensa vai noticiar assim: POLICIA MATA...
No dia 01/04/2011 estava assistindo ao noticiário e passou duas noticias distintas:
Primeira: Caso de um baiano que alega ter sido vitima de preconceito no Rio Grande do Sul onde ele fazia faculdade;
Segunda: Caso de uma garota carioca que durante uma brincadeira inseriu um caroço de feijão no nariz, e não foi atendida de imediato no hospital porque a médica “estava dormindo”.

Vamos ao primeiro caso:
O baiano alega que foi vitima de preconceito e agressões durante uma abordagem policial, e que depois que procurou a corregedoria e o MP passou a receber ameaças.
Não há testemunhas( era apenas ele e os policias), não foi dito se ele tem laudo de lesões, e as cartas apresentadas por ele( as ameaças) são impressas.
Porque fico com o pé atrás nesta denuncias?
Primeiro; Porque Já fui vitima deste tipo de denuncia. Já respondi judicialmente por algo que não tinha feito, simplesmente porque o cidadão não “gostou de ser abordado” e achou aquilo uma "violação de seus direitos"!
PORRA! Processa o Estado! É ele quem me manda te abordar, PARA SUA SEGURANÇA!

Quem é policial sabe o problema que é estar “subjudice”.
O Estado não paga seu advogado. Mesmo que o problema tenha acontecido durante o desempenho da função, então você tem que arcar com o custos de sua defesa.
A policia não te promove. Mesmo a Constituição dizendo que você não pode ser punido até que seja esgotado todos os recursos de sua defesa e que seja efetivamente provada a sua culpa.(É nisto que os fichas–sujas estão se apegando, para eles valem, para POLICIAIS NÃO!)

Você perde seu dia de folga para comparecer as audiências.
E quando é comprovada sul inocência...Não acontece NADA com o denunciante!
Parece que a Constituição dá o direito denunciar policiais, não sendo provada a denuncia...
Beijos! Volte a trabalhar, a “servir a sociedade”.
No caso em questão, os repórteres noticiaram assim o fato:
“Estudante É vitima de racismo pela policia”
“ Estudante foi agredido e foi vitima de racismo pela policia”.

Agora vamos ao caso dois. O da médica que estava dormindo!
Após os pais da criança irem a delegacia e prestarem uma queixa, e comparecerem no hospital com a policia(Agora ela serviu?), a médica atendeu a criança e disse aos pais que “não havia necessidade daquilo, e pediu desculpas”.
O Hospital vai abrir sindicância para apurar os fatos.
E a repórter da Record encerra a matéria com o seguinte comentário:
“Não podemos nem culpar esta médica, pois sabemos as condições que os profissionais da saúde trabalham.”
PORRA! E as condições que o policia trabalha?
Ninguém se importa?
A policia é sempre corrupta violenta, inoperante, etc.
A culpa é sempre creditada a nós!
Se agimos somos arbitrários, se não agimos somos coniventes!
Todo mundo diz que os médico atendem mau porque o sistema de saúde é um lixo, que os promotores não dão conta porque o sistema judiciário é um caos, que os professores não ensinam porque o sistema de educação é uma porcaria.
Só não existe desculpa para o policial.
Ninguém para pra pensar que muitos destes problemas envolvendo policiais tem sua raiz no modelo de segurança do nosso país.
Ai eu pergunto: Qual a policia que a sociedade quer?
Eu acho que ele está satisfeito com a policia que tem, ou como diz alguns colegas: “ Cada povo tem a policia que merece”.
E o povo brasileiro merece a policia que tem!
Pois se assim não o fosse, já teria exigido mudanças.
Não dá pra exigir que o policial respeite o cidadão , se o cidadão não respeita o policial.
Um bom policial tem que ser treinado, equipado e munido de autoridade que lhe é imbuída pela função.
Mas como fazer isso se o povo fica ouvindo um imbecil chamado Varela dizer que o “ soldado de policia não é autoridade, autoridade é o delegado”.
Ninguém é AUTORIDADE! Isso é um conceito do tempo do coronelismo!
O funcionário público é “investido de autoridade”. Autoridade esta que lhe é autorgada pelo Estado.
Então quando você desrespeita um policial em serviço , você não está desrespeitando “o homem”, você está desrespeitando “ a função”, você desacata o ESTADO”
No entanto desacatar um policial praticamente não dá punição!
Em 18 anos de profissão nunca vi um cidadão ser condenado por desacato!Que inclusive é um crime de poder ofensivo leve e no Maximo daria pena de “serviços comunitários”.
Mas experimente desacatar um delegado? Um juiz?
Na verdade experimente ir de encontro a opinião dele, mesmo estando certo!
Surge logo a herança de nossos tempos de ditadura: A carteirada! Sou Juiz de Direito!

O cidadão comum tem mania de culpar quem está no seu nível e resignar-se com os poderosos.
Então se a saúde não vai bem a culpa é do Funcionalismo Público, que nada faz e atendem mau e ganham muito bem!
Mas se dizem que o governo nada faz, o cidadão diz: “É assim mesmo, os poderosos nunca fazem nada pelos pobres”
Exigimos punição ao ladrão de galinha e nos conformamos com o ladrão de colarinho branco, aliás, invejamo-los.Quem nunca ouviu algume dizer: “No lugar dele faria igual”
Este mesmo “cidadão” depois vai para internet comentar sobre a “mais nova violência policial!”

Tornou-se mais fácil, responsabilizar-mos as organizações que são representativas da
coletividade. Culpar as instituições básicas formadoras da sociedade e
do Estado tornou-se mais cômodo e conveniente do que assumirmos a nossa responsabilidade.
Temos comportamentos imorais para todos os gêneros e preferências: do crime do colarinho branco, que tanto nos causa repulsa, ao pequeno sonegador de imposto de renda; do sujeito que se acha no direito de parar em fila dupla no trânsito (ainda que bem rapidinho) ao que alcoolizado causa vítimas mortais; do bandido que furta uma galinha no quintal do vizinho ao que furta milhões dos cofres públicos; dos indivíduos que jogam seus filhos da janela de suas casas aos que apenas negligenciam o cuidado elementar com seus descendentes ou ascendentes; dos espertinhos que se julgam no direito de fraudar combustível aos que se julgam sortudos
pelo troco a mais recebido na padaria, por equívoco de um caixa displicente, os que compram CDs e DVDs piratas, etc, etc...

Mas, na hora de culpar alguém culpamos a policia! A policia é corrupta por sermos corruptos! Esquece-se que sem corruptor não existe corrupto!

É o caso do cidadão que está com a documentação do veículo atrasada e encontra o policial corrupto.O policial sugere que a coisa pode ser resolvida ali mesmo, e a “cidadão” aceita, e depoi na roda de bar, na conversa em família e agora na internet vai reclamar: “ São todos corruptos, ficam perseguindo o cidadão de bem pra tirar dinheiro”.Se o policial não aceita a propina ele terá outro discurso: “ Prendeu meu carro por que eu não paguei propina”

Quem me conhece sabe! Tenho uma frase que costumo usar: “ Se todo homem tem seu preço, o meu é excessivamente alto, e não é qualquer um que pode pagar”.
Basicamente é: “Não me vendo por pouco”. E como ninguém ainda ofereceu MUITO, até hoje nunca aceitei propina!(ACREDITE SE QUISER PORRA!)
Na verdade o que este tipo de “cidadão” quer é descumprir a lei sem ser incomodado, ele quer que o policial o libere mesmo ele estando errado, por que ele “não é marginal, não é bandido”
Ora! O que é “ser marginal”? Não seria estar fora da lei, à margem?
Então, se a lei diz que todo mundo tem que andar com documentação do veículo em dia, o contrario, é estar à margem da lei!

O pior são os que criticam até mesmo quando o policial está certo!
Foi o que aconteceu numa comunidade do Orkut, quando todos comentavam a ação do policial que matou o Atirador de Realengo, no Rio de Janeiro.
Alguém postou um tópico chamando o policial de herói, então apareceram os “críticos”:
“ Não fez mais que a obrigação”, “Herói seria se tivesse evitado a tragédia”.

Notem o pensamento:
Quando somos errados, somos marginais, quando estamos certos e agimos corretamente não somos nada ou temos que ser deuses (oniscientes).
E este tipo de atitude parte de quem defende: A descriminalização das drogas, teve problemas com a policia, já foi multado, ou simplesmente por que viu um ou dois casos
arbitrariedade policial.
Não, não quero dizer aqui que os policias não cometem erros, nem que somos todos honestos.
Só peço o que "vocês"- críticos- nos pedem: O beneficio da duvida e a não generalização!
Antes de sair por ai dizendo que somos “todos marginais corruptos”. Dê-nos o beneficio da duvida!
Dê-nos o beneficio do tempo, de provar se a história contada é verdadeira ou não!
Não generalize! Por quê não somos todos iguais! Assim como você que mora na periferia não é marginal só por que seu vizinho é!

Mas, sabe o que dói mais?
É ouvir isto dentro de casa ou de amigos!
E a emenda sai pior que o soneto: “Eu sei que você não é assim, mas seus colegas são todos corruptos”
Pronto! Virei O ÚNICO POLICIAL HONESTO DE TODA A CORPORAÇÃO!
Então que porra eu to fazendo lá?
A Policia Militar- seja ela de que estado for- é a instituição pública que mais “corta na carne”. Isso é pouco divulgado porque A policia( instituição) acha que isto vai sujar a imagem da corporação.
Mas, de todas as instituições somos quem mais expulsa os elementos nocivos.
Claro que os nocivos que fazem parte da “ralé”(os praças). Oficiais não são expulsos! Vão para a reserva remunerada- assim como Juízes e Promotores- Aposentam-se, com direito a receber salário.
E o povo sabe disto?
Não!Pq o povo não está interessado nisto, ele está interessado em crucificar o Zé ruela igual a ele- Sim eu sou Zé ruela igual a vc! Ganho mau, vivo mau, me alimento mau, meu carro é 1.0( e está na oficina a mais de 4 meses).
Mas o povo é gado, como cantou Zé Ramalho

SOBRE AS CONOTAÇÕES SEXUAIS…

Fonte: http://novusanimusvivendi.wordpress.com/2007/03/17/sobre-as-conotacoes-sexuais/

"Dar não é fazer amor. Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca…
Te chama de nomes que eu não escreveria…
Não te vira com delicadeza…
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom.
Melhor do que dar, é só dar por dar.
Dar sem querer casar…
Sem querer apresentar para mãe…
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral…
Te amolece o gingado…
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois
de amanhã. Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém para querer casar, para apresentar para mãe,
para dar o primeiro abraço de Ano Novo e para falar:
“Que que ce acha amor?”.
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho…
É não ter alguém para ouvir seus dengos…
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar.
Experimente ser amado… "
DAR OU AMAR – Erico Verissimo – Colaboração de Gabriel Rodrigues

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Indigente

Texto perdido, que foi reencontrado e tvzs incompleto!

INDIGENTE

Foi enterrado no dia 07/04/2011 WELLINGTON DE MENEZES OLIVEIRA, o "Atirador de Realengo"
Tendo como testemunhas apenas os coveiros. Não teve direito a lápide, parentes ou assistência religiosa. Nenhuma padre, pastor, rabino, mulá...quis encomendar sua alma.
Foi-se como viveu. SOZINHO, INDIGENTE...
Filho adotivo, esquizofrênico e doente, Wellington foi vitima e algóz.
Vitima do descaso familiar, Pois, após a morte da mãe-a unica que parece, o amou- não teve quem cuidasse dele.
Vitima do descaso da rede de ensino, quem não identifica os casos de bulling, nem pune quem os comete.
Vitima dos politicos oportunistas que aproveitam-se das tragédias , e ao invés de debater e encontrar soluções, sacam "formulas mágicas", criam uma lei, gastam dinheiro público e não resolvem o problema.
Vitima de uma visão "humanista" do sistema de saúde mental, que transfere para a familia a obrigação de cuidar, medicar e guardar seus doentes mentais.
Algoz de crianças que vão se tornar vitimas do mesmo sistema , como ele e de crianças que não terão a chance de tentar escapar deste sistema ( as que foram mortas), pois não haverá soluções para o problema, apenas factoides, comemorados pela Mídia- outro algoz tanto de Wellington quanto quanto das crianças.
Ninguém providenciou apoio psicológico para as crianças da Escola Tasso da Silveira. A pressa era mostrar que a escola voltou a funcionar "normalmente", com festa, políticos, banda, artistas...O circo estava montado.
Servirão de cabos eleitorais, serão tema para as proximas eleições...sabe lá quantos deles reproduziram os atos de seu algoz.
Wellington se foi como viveu...SOZINHO!
Não mereceu sequer a clemência religiosa) Nenhuma religião queria se associar a sua historia).
A piedade familiar( era adotivo, não tinha a ligação sanguínea).
Wellington se foi...
Na semana seguinte foi Páscoa, falamos de caridade, amor, perdão...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

"Sociedade dos Poetas Mortos"

Antífona
Ó Formas alvas, brancas, Formas claras
De luares, de neves, de neblinas!
Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas...
Incensos dos turíbulos das aras

Formas do Amor, constelarmante puras,
De Virgens e de Santas vaporosas...
Brilhos errantes, mádidas frescuras
E dolências de lírios e de rosas ...

Indefiníveis músicas supremas,
Harmonias da Cor e do Perfume...
Horas do Ocaso, trêmulas, extremas,
Réquiem do Sol que a Dor da Luz resume...

Visões, salmos e cânticos serenos,
Surdinas de órgãos flébeis, soluçantes...
Dormências de volúpicos venenos
Sutis e suaves, mórbidos, radiantes ...

Infinitos espíritos dispersos,
Inefáveis, edênicos, aéreos,
Fecundai o Mistério destes versos
Com a chama ideal de todos os mistérios.

Do Sonho as mais azuis diafaneidades
Que fuljam, que na Estrofe se levantem
E as emoções, todas as castidades
Da alma do Verso, pelos versos cantem.

Que o pólen de ouro dos mais finos astros
Fecunde e inflame a rima clara e ardente...
Que brilhe a correção dos alabastros
Sonoramente, luminosamente.

Forças originais, essência, graça
De carnes de mulher, delicadezas...
Todo esse eflúvio que por ondas passa
Do Éter nas róseas e áureas correntezas...

Cristais diluídos de clarões alacres,
Desejos, vibrações, ânsias, alentos
Fulvas vitórias, triunfamentos acres,
Os mais estranhos estremecimentos...

Flores negras do tédio e flores vagas
De amores vãos, tantálicos, doentios...
Fundas vermelhidões de velhas chagas
Em sangue, abertas, escorrendo em rios...

Tudo! vivo e nervoso e quente e forte,
Nos turbilhões quiméricos do Sonho,
Passe, cantando, ante o perfil medonho
E o tropel cabalístico da Morte...

Cruz e Souza

Para Lêu, que me apresentou este Gênio da poesia.

domingo, 10 de abril de 2011

A MORAL E A MENTIRA EM JUÍZO

Ronaldo Antonio Messeder Filho Juiz do Trabalho Substituto Mestre em Direito do Trabalho pela PUC –MG


De uns tempos para cá, a sociedade brasileira está mais e mais cansada de tanta
corrupção, desonestidade, patifarias e outras velhacarias imorais. A falta de princípios e
de valores virtuosos parece estar, cada vez mais, se alastrando por todos os âmbitos da
sociedade. É preciso, assim, que retomemos a questão moral, a questão do bem e do
mal, do humano e do inumano, inclusive no interior do processo.
Sabemos que a queixa social hoje é freqüente e demasiada. Estamos sempre
reclamando, intensamente, com amigos e conhecidos, das inúmeras imoralidades que
são cotidianamente expostas e veiculadas pela mídia. Mas tais imoralidades não se
circunscrevem ao que vemos na tela dos noticiários, ou ao que lemos nas revistas e nos
jornais. A imoralidade, ou amoralidade, não está somente na esfera do coletivo. A falta
de ética, de solidariedade e de honestidade que vemos por aí advém, essencialmente, e
com maior e mais intensa gravidade, do próprio âmago da nossa individualidade. Somos
todos, na verdade, legítimos partícipes e responsáveis pelo país que temos; somos
causadores dos fatos que tantas vezes criticamos, culpamos e amarguramos. Cada
indivíduo, seja com maior ou menor intensidade, é colaborador desse resultado
catastrófico das dificuldades e infelicidades cotidianas.

Tornou-se mais fácil, no entanto, escolhermos como os responsáveis pela
desorganização social e política do país, apenas os entes que são representativos da
coletividade e do abrangente.

Culpar as instituições básicas formadoras da sociedade e
do Estado tornou-se mais cômodo e conveniente do que responsabilizar cada um dos
cidadãos brasileiros, os reais e verdadeiros participantes desse mal-estar generalizado.
A falta de moral se alastra cheia de exemplos negativos e egoístas. Parece ser
passada de geração em geração e de pais para filhos. A cada grande ou pequeno gesto
negativo delineia-se o cenário do universal negativo e imoral que conhecemos, do social
que é rejeitado por todos, do país que a toda hora tanto nos envergonha.
Neste quadro, temos comportamentos imorais para todos os gêneros e
preferências: do crime do colarinho branco, que tanto nos causa repulsa, ao pequeno
sonegador de imposto de renda; do sujeito que se acha no direito de parar em fila dupla
no trânsito (ainda que bem rapidinho) ao que alcoolizado causa vítimas mortais; do
bandido que furta uma galinha no quintal do vizinho ao que furta milhões dos cofres
públicos; dos indivíduos que jogam seus filhos da janela de suas casas aos que apenas
negligenciam o cuidado elementar com seus descendentes ou ascendentes; dos
espertinhos que se julgam no direito de fraudar combustível aos que se julgam sortudos
pelo troco a mais recebido na padaria, por equívoco de um caixa displicente. Os relatos e
casos são inúmeros e infindáveis. Todos nós bem os sabemos e conhecemos. Todos
temos consciência de sermos responsáveis, em menor ou maior potencialidade, pela
imoralidade geral que se instaurou. Somos, portanto, participantes desse caos de
imoralidade, seja através de ações negativas, seja através de omissões insensíveis e
sempre prontamente justificadas.

Fala-se demais e muito pouco se é feito. Culpamos políticos e não os eleitores.
Culpamos a polícia e não os malfeitores. Culpamos o judiciário e não os litigantes
desonestos. Cada um esquece sua parte e, sem dúvida, esquece que é real participante
desse modelo social negativo do qual tanto nos enojamos e tanto nos envergonhamos.
Deixamos de perceber que o coletivo gerado é, em essência, o espelho retalhado da
individualidade negativa e perversa.

Os pequenos gestos virtuosos e as pequenas gentilezas vão sendo esquecidos e
deixados de lado. Algumas pequenas condutas honestas, de raros indivíduos de caráter,
imersos ou submersos nesse contexto caótico da imoralidade, passam a ser substrato
para o palco de certos noticiários e para a consagração de celebridades insossas e
momentâneas. O honesto tornou-se a exceção. O honesto tornou-se notícia televisiva,
artigo de luxo e objeto de raridade social.
Os atributos do esperto e do malandro, porém,
afloram cada vez mais como regra, ainda que inconscientemente, e vão se tornando
admiráveis e almejados, seja por serem capazes de atrair riqueza, seja por serem
capazes de nos tornar respeitáveis e poderosos.


Daí porque, no Judiciário, também, já se pode sentir e perceber todos esses
sintomas da imoralidade do coletivo e do individual. Aqui, onde os conflitos se deságuam
e onde duelos sofríveis são travados, os juízes e os demais participantes do processo
(partes, testemunhas, advogados, peritos, servidores e outros) começam a perceber
todas essas facetas do imoral e do desonesto. Deparamo-nos diariamente com um
absurdo e crescente número de testemunhas mentirosas, com a desfaçatez de certas
declarações e com a falta de caráter de certos litigantes. Por aqui a verdade vai se
tornando exceção. A verdade passa a migrar para a obscuridade. Para encontrar a
verdade o juiz passa a precisar de exercícios e esforços de hércules, criando fórmulas
jurídicas criativas de interpretação, para desfazer injustiças e distorções processuais. É
preciso sempre, pois, suprir lacunas. Isso porque a verdade fica, muitas das vezes,
escondida atrás das testemunhas mentirosas e dos maus profissionais. A verdade aos
poucos vai se escondendo atrás dos litigantes desonestos, dos litigantes espertos e às
vezes contumazes. O processo se torna, de certa forma, uma armadilha intricada. Nem
sempre o litigante vencedor é o litigante que está com a razão moral e jurídica; muitas
das vezes o vencedor da contenda é aquele que é o mais esperto, o que tem mais
recursos, o que tem bons advogados e, às vezes, o que tem mais poder. Mas, ainda
assim, diante disso tudo, somos capazes de nos interrogarmos e nos perguntarmos,
quem serão os verdadeiros culpados e vilões dessa história. Seriam culpadas somente as
outras pessoas?! Quem seriam os culpados? Por que tanta injustiça? Seriam culpados os
políticos, as leis, a polícia, o judiciário? Não. Culpados somos nós. Culpados somos cada
de um de nós. Culpado não é o processo, o Judiciário, as leis arcaicas. Culpado não é a
república tupiniquim ou o estado democrático de direito do jeitinho brasileiro, culpados
não são apenas os corruptos, os ricos e os desonestos, culpados somos todos nós!
E é exatamente porque não gostamos ou queremos ser vítimas de injustiçasé
que precisamos mudar e nos conscientizar. Porque não gostamos de ser vítimas de
políticos corruptos, de policiais despreparados, de um judiciário injusto ou moroso, é que
precisamos dar conta das virtudes e dos valores salutares para essa mudança. Todos
devem estar cientes de seu papel. Cada cidadão deve estar ciente de sua importância,
dos seus direitos e sobretudo dos seus deveres. Nessa linha o juiz deve estar ciente e
atento ao seu compromisso com a justiça e com a legalidade. Os advogados devem estar
cientes de seu papel de expor os fatos conforme a verdade. Os litigantes devem estar
cientes de que a guerra também tem regras e comporta limites. As testemunhas
precisam saber o seu papel essencial, pois elas são imprescindíveis para trazer à tona a
verdade ao judiciário. Não é só moralidade jurídica, é moralidade de cada indivíduo
integrante da sociedade.

É preciso que todos estejamos cientes de que quando uma testemunha mente,
quando um litigante distorce os fatos, quando cada operador do direito descumpre seu
papel, as vítimas não são apenas os vencidos, as vítimas, que se formam, não são os
juízes, não são os advogados, não são as testemunhas ou apenas as partes. As vítimas
somos todos nós. As vítimas são os nossos amigos, nossos colegas, nossos parentes e
muitas pessoas que estimamos. As vítimas tornam-se todos aqueles que necessitam e
recorrem à justiça, dos que querem dignidade, e de todos que querem e merecem
respeito.
Por isso, todos nós precisamos, cada um a sua maneira, zelar pelo compromisso
ético do processo. Precisamos estar compromissados sempre com a verdade e a lealdade. Devemos evitar as artimanhas processuais, as distorções de caráter e da boafé. Devemos tolher a impunidade, para assim evitarmos a desmoralização de nossas
instituições. Chega de dissimulações.
E lembremos o velho aforisma: os lobos entredevoram-se entre si!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Não Me Rotulo


Sempre fugi dos rótulos, Nunca me defini apenas por algo, sempre estive aberto a experimentar o novo, por isso nunca me prendi a rótulos.
Gosto de rock roll, mas não me definiria como roqueiro,meus amigos pagodeiros talvez pesem que sou e até me chamam de roqueiro, mas meus amigos que têm o rock roll como filosofia de vida talvez me considerem mauricinho( pela forma de vestir). Musicalmente na verdade sempre me defini com ECLÉTICO, mas isso deixa uma gama de opções e definições, talvez eu devesse dizer que sou ECLÉTICO COM BOM GOSTO!
Não vai ser impossível você me ver dançando um samba, não tenho ojeriza ao axé music, nem tenho ânsia de vômito quando escuto um sertanejo, Se for BOM eu até escuto. Claro que raramente você vai encontrar entre os meus CDS um que toque estes estilos.Mas não concordo que quem curte IRON MAIDEN não escuta Evril Lavigne.
Não sou católico, também não sou ateu, nem sou evangélico...Acho que Deus não precisa que eu siga um "pastor" para que aceite ele, até por quê nunca gostei de ser "ovelha" e não acredito que um homem igual a mim saiba o que Deus quer que façamos de nossas vidas. Se existe um "Manual"( a Bíblia) basta que eu siga as instruções!
Costumo dizer que não sou fanático por nada, aliás o fanatismo me cansa. Odeio pessoas que tem a CERTEZA de algo, simplesmente por que acham que teorias ciêntificas ou palavras divinas dizem que É ASSIM!
Os rótulos criam estereótipos pelos quais você é avaliado e avalia as pessoas. E assim as vezes você já avalia as pessoas antes mesmo de conhece-las.
Talvez existam pessoas que de tão pobres de espírito e inteligência nescessite de um rótulo para se auto definir. São os fanáticos por um time de futebol, por um estilo de vida, por um estilo musical, por uma religião, por uma ideologia politica ou um partido.Estes não enxergam além da viseira que o seu objeto de adoração os deixa enxergar.São como cavalos que puxam carroças que não enxergam o que acontece a sua volta, apenas o caminho que o carroceiro quer que ele enxergue.
Sempre estive aberto a mudanças, sempre esperei aprender mais e assim separar o que me é útil para minha caminhada neste mundo.
Minha profissão não me define, mas é algo que faz parte de mim, a condição de pai não me define, mas é algo que não posso tirar de mim.
Sou um, composto de várias partes, são estas partes que me definem, mas sem rotular.
Costumamos criar personagens para interagir com as pessoas , então temos o palhaço, o introspectivo, o sério, o conquistador, o pacificador, etc.
Escolhemos a hora de usar cada uma destas facetas de nossa personalidade.
Algumas pessoas dirão que nóss nunca nos mostramos como somos realmente, mas eu acho que a não ser quando queremos esconder algo, nós nos mostramos sim, mostramos a personalidade que melhor se encaixa na situação.
Não me rotulo, então NÂO ME ROTULE!
Eu sou oo que você vê e o que eu mostro a você, mas depende do que você quer ver!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O que querem as mulheres?


Bem, já fui o lobo mau e incrível elas diziam querer o príncipe encantado, então, tornei-me o príncipe. Mas elas não acreditam q o lobo vire cordeiro e a desconfiança destrói qualquer relacionamento.
Um dia decide que seria o novo homem, uma junção do príncipe e do lobo.
Segundo as expectativas das mulheres o novo homem é:
Companheiro, engraçado, bonito, charmoso, inteligente, gentil másculo, inteligente, moderno, protetor, provedor, compreensivo, saber dançar, discreto, educado, realizar todas as fantasias delas e ter pegada!
UFA!
Bem mulheres, tenho novidades:
Somos humanos! E mesmo o super-homem teve seus dias ruins.
A mulher lutou por igualdade, dedicou-se a carreira, a vida pessoal, a descobrir o mundo... E conseguiram!
As mulheres querem ser modernas, independentes e brigaram para que os homens reconhecessem estes direitos, mas ainda querem o homem de antigamente:
Que abre a porta, manda flores, dê atenção, amor, sexo...
Alôoooooôu! Se vcs mudaram, nós também mudamos.
Não que não gostemos de ser gentis, mas vocês pediram Igualdade e querem ser tratadas como a Cinderela?
Quando se pergunta a uma mulher o que ela quer de um homem as respostas são mais ou menos assim:
Gostaria de um homem sensível, mas forte!
Contraditório? Sim, muito!
Vocês são:
Competentes ativas, dinâmicas inteligentes, liberadas, sábias, corajosas, arrojadas, independentes, lindonas, (o tempo não derruba vocês), sensíveis, decididas, grandes amantes, talentosas, sofisticadas. E são claro muito melhores que nós, já que tudo que conseguiram tiraram de nós.
E assim vocês querem deixar maridos, ex-maridos, namorados, amantes, e colegas comendo poeira. E depois, quando estamos lá atrás e desistimos de vocês e descobrimos o conforto de uma mulher mais nova e menos competitiva, pronta a admirar nossas qualidades, que aos olhos da mulher-maravilha, já não vale grande coisa. Ai, vcs nos tacham de inseguros com a idade!
Uma das frases preferidas das mulheres modernas quando querem se auto-afirmar é:
“...Sou uma mulher independente, nunca precisei de homem pra me sustentar, tenho nível superior (principalmente se o cara não tem), não sou feia (isso quado não afirma ser bonita), posso ter o homem que eu quiser.”
Nós também podemos ter a mulher que quisermos, aliás, isso há muitos séculos! Mas depois de muito tentar aprendemos que mais vale uma mulher especial que muitas sem conteúdo, pena que vocês não acreditam.
Vejam o que acontece nas diferentes faixas etárias com a proporção entre homens e mulheres:
Para os homens:
Idade --- Numero de mulheres p/ cada homem
20/24 2,1
25/29 5,0
30/34 11,3
35/39 21,6
40/44 33,3
45/49 48,0
50/54 56,7

Já para as mulheres:
Idade --- Numero de homens p/ cada mulher
20/24 3,2
25/29 3,3
30/34 3,2
35/39 2,9
40/44 2,3
45/49 2,5
50/54 1,9
Conclusão:
O mercado esta farto para os homens.
Mas não pense que por isso tudo estamos dizendo que as mulheres de 30 em diante são as únicas que erram.
As garotinhas de 18 a 29 parecem estar sofrendo de um novo mau.
Antes homens mais velhos que se relacionavam com mulheres mais novas, eram inseguros, ciumentos possessivos. Hj observamos o contrario.
Por que aprendemos e descobrimos que somos mais valorizados que os garotões. Cuidamos de nossa aparência, então não ficamos devendo nada aos “saradões”. Somos mais inteligentes, mais cultos, e fazemos um sexo onde a qualidade supera muito a quantidade.
Resumindo:
Nós homens, apesar de durante muito tempo nos dedicar ao trabalho e a carreira, sempre soubemos que a vida afetiva (família) era uma das colunas que sustentavam nosso sucesso.
Mesmo quando não aceitávamos as mulheres como iguais, sabíamos que eram elas que estavam à retaguarda cuidando para que tivéssemos a tranqüilidade e o descanso para as batalhas do dia a dia.
Quando passamos a entender que vocês eram capazes, os mais inteligentes de nós passaram a entender que tínhamos que caminhar juntos e não concorrendo um contra o outro.
Casamento é uma união de iguais, com fins de atingir os mesmos objetivos. Não uma disputa de egos, onde um quer se impor mais que o outro.
Não queremos mulheres submissas, mas tbm não vamos abrir mão do nosso papel masculino. Afinal é ele que nos faz ter “pegada”
A perfeição não existe, o que deve haver é respeito às diferenças.
Não queremos alguém que cometa os mesmos erros que nós, e sim alguém que tenha as qualidades que nos faltam.

Verdadeiro amor


Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação. Não noutra alma.
Só em Deus – ou fora do mundo.
As almas são incomunicáveis.
Deixa teu corpo se entender com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não.
Manoel Bandeira

A poesia é universal quando busca a essência do amor. Muitas vezes nos perguntamos por que o amor é fonte de tantos desencontros e sofrimentos. Existem duas maneiras de amar: a imaginária (paixão) e a real (amor verdadeiro). É claro que esta divisão é teórica e que na prática as duas se misturam, porém, uma parte sempre sobressai, e é, realmente, esta parte que faz toda a diferença. A paixão é a forma imaginária de amar, sonha com a fusão, com um só ser, nossa cara metade, perfeita, que vem harmoniozamente juntar dois em um.
“... eu amava como amava um pescador, que se encanta mais com a rede que com o mar. Eu amava como jamais poderia, se soubesse como te encontrar...”

Amamos aquilo que supomos nos faltar, precisamos do outro para nosso próprio bem. Narciso não ama, está apaixonado por si mesmo, se apaixona pela imagem que projeta no outro. Imagem embelezada, distorcida, idealizada. Então, fatalmente, se a paixão vive o dia-a-dia, se esgota. Lentamente começamos a nos entediar e a sonhar com outra coisa que nos falta. Mas, se o objeto de nossa paixão parte, vem o desespero, porque paixão sempre renasce instantaneamente na falta e no sofrimento. Este é o tipo mais comum de amor, é uma briga constante com nossas próprias neuroses jogadas no outro. Por que? Porque amar um ser humano real é difícil demais. É preciso aceitar muita diferença e muita solidão, e aceitar a solidão não é fácil. Mas, se quisermos fazer algo de verdadeiro em nossas vidas, é preciso passar por ela, entrar de cabeça, olhar de frente para o vazio e para a angústia que isto provoca. É preciso começar pela angústia de saber que não há fusão possível, que somos sós, e que só nós mesmos somos responsáveis por nossa vida. Se tivermos essa coragem poderemos sair da loucura do amor-paixão, amor-sonho, amor-covarde que exige que o outro preencha um vazio impossível de preencher. Amor que coloca o outro numa prisão, numa angústia por nunca conseguir preencher as expectativas vorazes do desejo imaginado. “... eu quero a sorte de um amor tranqüilo, com sabor de fruta mordida...


O outro tipo de amor, é o amor real, que sabe que aquela fusão é impossível, e mesmo que possível fosse, não abriria mão de sua individualidade. Amor mais maduro, mais real e verdadeiro, onde não se ama uma imagem, mas a pessoa real, de carne e osso, que erra, que tem limites. Este é o tipo de amor que pode dar certo. Amor-companheiro, escolha assumida, divisão de vida. Amar desse jeito é poder aceitar o outro como ele é, sem procurar muda-lo. É desfrutar de sua presença, e do que esta pode oferecer em prazer e alegria. Amar a vida partilhada, a confiança desenvolvida, gostar do que temos e conhecemos tão bem. Mas, para amar desse jeito, é preciso sair da neurose, ao menos um pouco. Parar de olhar só para seu próprio umbigo e aceitar a diferença. E para aceita-la, é preciso passar pelas próprias dificuldades, passar pela solidão, pelo medo que esse vazio provoca em nós. E, principalmente, não culpar o outro por nossos fracassos e medos.Quem já encarou seus fantasmas não precisa mais que o outro tape os buracos por onde se vislumbra o vazio.

E, para quem quer verdades, saiba que mais vale um pouco de amor verdadeiro do que muito amor sonhado.